jusbrasil.com.br
10 de Abril de 2020

Visual Law: como usar vídeos, infográficos, fluxogramas e storyboards em petições

Por Bernardo de Azevedo e Souza

Bernardo de Azevedo e Souza, Advogado
há 5 meses

Qualquer profissional que atua na advocacia (em qualquer área de atuação) sabe que os magistrados, em sua maioria, não têm tempo para analisar todas as petições que lhe são submetidas. O julgadores costumam passar os olhos pelos pedidos finais e pelos tópicos das peças para entender os motivos que levaram ao ingresso da demanda. A leitura, na maioria das vezes, é superficial.

Dados do CNJ revelaram que o Brasil registrou, em 2018, 78,7 milhões de processos judiciais em tramitação no Poder Judiciário. Hoje, o País tem cerca de 21 mil magistrados. Embora não seja possível precisar quantos processos são distribuídos a cada magistrado, dada a competência de cada órgão jurisdicional, é possível supor que a maioria dos juízes analisa centenas de processos por mês.

O excesso de trabalho e a falta de tempo não estão permitindo que os magistrados leiam todas as petições. O cenário como um todo vem levando advogados a adotar novas formas de capturar a atenção dos julgadores. As novas técnicas de peticionamento vão desde peças processuais mais curtas, claras e objetivas, até a aplicação de recursos visuais em petições (prática denominada Visual Law).

A maioria dos advogados não adota recursos visuais em petições

Embora os recursos visuais sejam poderosos instrumentos de comunicação, a maioria dos advogados não os utiliza em peças processuais, optando pela argumentação em texto. Em síntese, entre os principais motivos que levam os profissionais da advocacia a não adotar recursos visuais (como, por exemplo, vídeos, infográficos, fluxogramas e storyboards) nas petições estão:

  • Não possuir conhecimentos mínimos de design;
  • Desconhecer, tecnicamente, como elaborar os recursos visuais;
  • Não saber como organizar as informações textuais nos recursos visuais;
  • Supor que tais recursos mais possam confundir os magistrados do que convencê-los;
  • Suspeitar que as petições possam ficar "infantilizadas" com as representações visuais;
  • Acreditar que elaboração desses recursos represente um trabalho desgastante e ineficaz.

Algumas experiências estrangeiras vêm demonstrando que a combinação entre elementos visuais e textuais auxilia na captura psíquica dos julgadores. Ao empregar o Visual Law em petições, o profissional da advocacia conta a história do cliente de forma mais persuasiva. O uso de vídeos, infográficos, fluxogramas e storyboards tem, portanto, potencial para revolucionar a forma de peticionar em juízo.

Em suma, entenda como usar vídeos, infográficos, fluxogramas e storyboards em petições:

1. Vídeos

Visual Law 01

Embora os vídeos ainda sejam pouco utilizados pelos advogados em processos judiciais, eles podem oferecer excelentes resultados para convencer os magistrados. Em síntese, os vídeos podem (e devem) ser empregados pelos profissionais da advocacia nas petições, tanto para tornar a pretensão do cliente mais clara (na área cível e trabalhista) quanto para fortalecer a defesa (na área criminal).

Em síntese, confira algumas ideias para usar vídeos em petições:

  • Complementando petições iniciais: ao concluir a redação de peça, o advogado pode gravar um vídeo (com seu smartphone) explicando ao juiz os principais pontos da causa. Após, pode gerar um hiperlink ou mesmo gerar um QR Code para inserir na petição;
  • Explicando casos complexos: o advogado pode contratar um estúdio especializado em animação, com domínio de técnicas de storytelling, para produzir um vídeo específico que dê conta de explicar os principais pontos de controvérsia da causa;
  • Recordando vídeos para destacar argumentos: em vez de transcrever, em texto, uma frase importante do depoimento de uma testemunha, o advogado pode recortar o vídeo original no exato momento em que a mesma frase é dita (ideal para processos eletrônicos).

Ainda sobre Visual Law, é provável que você goste:

Vídeos: como eles podem aprimorar as petições dos advogados

2. Infográficos

Visual Law 02

Infográficos são textos visuais informativos e explicativos, que costumam ser acompanhados de ilustrações, gráficos e ícones. Em resumo, são peças visuais utilizadas para apresentar dados e informações mais facilmente. Ao combinar textos breves com figuras, os infográficos estimulam os dois lados do cérebro humano, ajudando o interlocutor a compreender conteúdos de maior complexidade.

Em síntese, confira algumas ideias para usar infográficos em petições:

  • Ilustrando estatísticas: em casos criminais, o profissional pode utilizar o recurso para demonstrar estatísticas sobre o presídio em que o cliente está preso (número de presos excedentes, rebeliões, etc), despertando maior empatia no julgador;
  • Narrando acontecimentos em ordem cronológica: o advogado pode usar o recurso para ilustrar a sucessão de atos que desencadearam determinado fato e, assim, demonstrar que o cliente não teve qualquer responsabilidade;
  • Apresentando comparativos e realçando diferenças/semelhanças: o profissional pode utilizar um infográfico comparativo para demonstrar a semelhança (ou diferença) entre o caso do cliente e o caso paradigma, conforme a necessidade.

Ainda sobre Visual Law, é provável que você goste:

Infográficos: como eles podem aprimorar as petições dos advogados

3. Fluxogramas

Visuall

Os fluxogramas são representações visuais esquemáticas de processos, sistemas ou fluxos de trabalho. Em suma, com eles é possível ilustrar a sequência operacional de processos e descrever a logística interna de empresas e organizações. Além disso, eles ajudam a apresentar o caminho percorrido por determinados elementos e a esclarecer a transição de informações entre componentes.

Em síntese, confira algumas ideias para usar fluxogramas em petições:

  • Ilustrando variedade de recursos em um mesmo processo: existem casos complexos que exigem a interposição de dezenas de recursos. O advogado pode utilizar fluxogramas detalhados para traduzir, de forma visual, a variedade de recursos apresentados;
  • Apresentando a estrutura organizacional de empresas: ao atuar em megaoperações policiais, com dezenas de investigados, o advogado pode utilizar um fluxograma para descrever a estrutura organizacional da empresa investigada e eximir o cliente de responsabilidade;
  • Desenhando a logística interna de organizações: em casos envolvendo falha ou atraso na entrega de mercadorias, o profissional da advocacia pode usar o fluxograma para descrever a logística da organização, delimitando, assim, as responsabilidades.

Ainda sobre Visual Law, é provável que você goste:

Fluxogramas: como eles podem aprimorar as petições dos advogados

4. Storyboards

Visual

Storyboards são construções gráficas que apresentam, quadro a quadro, as principais cenas de uma história. Ele são esboços similares a histórias em quadrinhos e apresentam a pré-visualização, enquadramentos e movimentos das cenas. Aliás, os storyboards ilustram aquilo que o texto não dá conta de representar, o que vem levando profissionais a aplicá-los no contexto do Direito.

Em síntese, confira algumas ideias para usar storyboards em petições:

  • Esclarecer a dinâmica de acidentes de trânsito: em casos envolvendo acidente de trânsito, o advogado pode utilizar um storyboard para ilustrar a dinâmica da colisão e demonstrar que o cliente não teve responsabilidade no ocorrido;
  • Desenhando a reprodução simulada dos fatos (reconstituição de crime): em casos envolvendo homicídios, o profissional da advocacia pode empregar storyboards para ilustrar a reconstituição do crime, contando, quadro a quadro, como os fatos ocorreram.

Ainda sobre Visual Law, é provável que você goste:

Storyboards: como eles podem aprimorar as petições dos advogados

Visual Law e petições

Alguns profissionais já estão aplicando as técnicas de Visual Law na prática e colhendo os primeiros resultados. No início, é provável que haja resistência por parte de alguns juízes. Mas é inegável de que o excesso de processos judiciais, somado à escassez de tempo dos magistrados para apreciar tudo, exige dos advogados novas habilidades, novas mentalidades e novas perspectivas de atuação.


Enfim, quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Acesse o meu Site Oficial. siga-me no Facebook, Instagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

3 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Muito interessante! De fato é um diferencial e entendo que deve ser usado com parcimônia para não perder a essência petitória dirigida ao magistrado. Talvez a gravação de vídeos seja a que exige menos conhecimento técnico do advogado, mas não acho que seja a mais eficiente, pois uma redação bem feita, coesa e objetiva pode suprir a explicação oral.

Já a utilização de infográficos, fluxogramas e storyboards são bastante úteis, dentro da finalidade a que se prezam. Eu incluiria aí a parte relacionada a topografia como elemento visual relevante na descrição e localização de imóveis. continuar lendo

👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻 Excelente conteúdo!

Uma dúvida: Vocês utilizam o word ou outro programa?

Obrigada pelo conteúdo de excelente qualidade. continuar lendo

Excelente conteúdo! continuar lendo